menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

MARI-Project: Dezanove (19) Operadores de Redes de Transporte (TSOs) europeus concordam em continuar a cooperação com vista à criação de uma plataforma de mFRR

 

No dia 5 de abril de 2017, dezanove TSOs assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para a concepção, implementação e operação de uma nova plataforma comum com vista a troca de mFRR (manual Frequency Restoration Reserve).

Estes dezanove TSOs de toda a Europa assinaram um Memorando de Entendimento com vista à criação de uma visão única e partilhada sobre a forma de implementar uma plataforma europeia para o intercâmbio de energia de reserva de regulação com ativação manual (plataforma mFRR). A este projeto deu-se o nome de MARI (Manually Activated Reserves Initiative).

 

TSOs que assinaram

Como a regulamentação da Comissão sobre Electricity Balancing (GL EB - Guideline on Electricity Balance), aprovada no dia 16 de março de 2017 pelo Electricity Cross Border Committee, exige a introdução de plataformas que coordenem o intercâmbio de energia de equilíbrio para todos os tipos de reservas, os TSOs participantes começaram a trabalhar em 2016 nos princípios fundamentais de uma plataforma comum de mFRR. Espera-se que uma plataforma bem concebida não só cumpra os requisitos do GL EB, mas também reforce a segurança de abastecimento e aumente a eficiência e a cooperação nos mecanismos necessário para assegurar o equilíbrio entre a geração e o consumo em toda a Europa.

Através deste MoU, os TSOs participantes estabeleceram princípios orientadores comuns com vista a uma implementação bem-sucedida.

Os TSOs participantes estão agora a concentrar-se no desenvolvimento e implementação de uma plataforma mFRR. Durante este processo, a cooperação compromete-se a comunicar os últimos desenvolvimentos e a solicitar contribuições de todas as partes interessadas, incluindo as entidades Reguladoras Nacionais (NRAs). Graças aos esforços de antecipação da entrada em vigor do GLEB por parte dos TSOs envolvidos, o projeto está atualmente otimista para cumprir os prazos previstos no quadro regulamentar, ou seja 2022.