menu
 
 

REN

Comunidade

Sustentabilidade

‹ VOLTAR

Comunidade

 

Consciente da sua responsabilidade no domínio da cidadania empresarial e fiel ao compromisso de manter e aperfeiçoar um modelo de gestão ética e socialmente responsável, a REN apoia, inúmeras organizações da sociedade civil e entidades públicas, participando em várias iniciativas nos mais diversos domínios.

Apoio social, científico e cultural

A REN apoia inúmeras organizações da sociedade civil e entidades públicas, participando em várias iniciativas nos mais diversos domínios: social, cultural, da educação, ambiente e desporto.

Voluntariado

A REN acredita que o voluntariado corporativo, para além de ser um eixo de atuação fundamental para o relacionamento das empresas com a comunidade no geral, é ainda uma prática determinante na construção de uma cultura interna responsável.

O programa de voluntariado da REN assume-se como um projeto de responsabilidade social, assente em três eixos de atuação - Educação, Ambiente e Solidariedade - que visa colocar as competências e o tempo dos colaboradores ao serviço da Comunidade. 

Para mais informações consulte o Relatório Anual.


Proprietários de terrenos e servidões

O relacionamento com os proprietários é uma preocupação presente na actividade da REN, com especial impacto durante a fase de construção das redes de electricidade e de gás e ainda na construção de novas cavidades de armazenagem de gás natural, bem como na posterior manutenção dessas infra-estruturas (especialmente nas redes de electricidade e de gás).

Este grupo de partes interessadas tem um impacto relevante na actividade da rede pela influência que tem, não só na concretização dos projectos de investimento dentro dos prazos acordados com as entidades oficiais, como também na facilidade de acesso aos meios de comunicação social.

O relacionamento com os proprietários dos terrenos é regulado por legislação específica, estando a REN obrigada a contactar todos os proprietários afectados, bem como outros interessados, de forma a estabelecer com estes, mecanismos formais de compensação pela utilização das suas propriedades. Esta utilização pode passar pelo estabelecimento de servidões administrativas, quer eléctricas, quer de gás ou ainda pela aquisição das respectivas propriedades, no caso de construção ou ampliação de subestações eléctricas ou de estações de gás.

Na fase de exploração destas infra-estruturas, o relacionamento com proprietários volta a assumir o maior relevo, uma vez que a conservação das linhas eléctricas e dos gasodutos, obrigando a empresa a um diálogo permanente e constante com os proprietários, de forma a compatibilizar o uso do solo nas áreas de servidão, com as normas de segurança impostas pela legislação em vigor.

Para o contacto com os proprietários a REN disponibiliza canais formais de comunicação, nomeadamente contactos telefónicos, sendo o meio mais frequente e imediato, assegurado pelos colaboradores e prestadores de serviços presentes no terreno quer na fase de construção, quer de manutenção das infra-estruturas. Para a negociação das servidões e aquisição de terrenos a REN, além dos colaboradores directamente relacionados com esta área, a empresa recorre a prestadores de serviços que também representam a empresa junto dos proprietários.

Por se entender tratar de uma área crítica, uma vez que está em causa a própria imagem da REN, os fornecedores, qualificados para esta actividade, são acompanhados de perto por colaboradores experientes da REN, assumindo estes directamente, todas as comunicações formais necessárias. Dada a importância desta matéria, já faz parte dos cadernos de encargos de algumas prestações de serviços, um código ética destinado aos fornecedores, nomeadamente na contratação de serviços relacionados com o Estabelecimento de Servidões de Linhas Eléctricas.

O contacto directo com os proprietários permite o esclarecimento sobre as infra-estruturas a construir, informar sobre os direitos e deveres dos proprietários perante a instalação de infra-estruturas de utilidade pública, prejuízos que advêm para as suas propriedades e respectivas compensações, compatibilização das exploração das infra-estruturas com outro tipo de exploração/usos das propriedades.

São também dinamizadas reuniões com as autoridades locais na fase de projecto, dando a conhecer as obras planeadas para a região, de modo a que estas entidades possam prestar futuros esclarecimentos às populações e auxiliar o trabalho dos técnicos. Assume particular relevância o contacto directo com as Juntas de Freguesia antes do inicio dos contactos com os proprietários, prévio ao início de qualquer obra.

Por vezes este relacionamento nem sempre é pacífico, pelo que no estabelecimento de servidões, a REN tem que recorrer aos mecanismos previstos na legislação, nomeadamente o processo de intimação (linhas eléctricas) e de solicitação de apoio das autoridades públicas para avanço dos trabalhos (gasodutos).

O programa de reflorestação da faixa de proteção das linhas de transporte de electricidade é um exemplo das medidas de minimização aplicadas pela REN.

Para mais informações consulte o Relatório Anual.

Links relacionados:

Servidão de Linhas de Transporte de Eletricidade. Perguntas Frequentes

A Servidão do Gás Natural. Perguntas Frequentes

Programa de Reflorestação das Faixas de Proteção de Linhas de Transporte de Eletricidade

A REN e a Defesa da Floresta Contra Incêndios

Imprimir