menu
 
 

REN

Programa de Reflorestação das Faixas

Gestão de vegetação nas faixas de servidão das redes de transporte de eletricidade. Uma mudança de paradigma.

A REN tem um forte compromisso com a defesa e sustentabilidade da floresta portuguesa, uma vez que 60% das suas infraestruturas estão inseridas em espaços florestais. Para garantir as condições de segurança das infraestruturas energéticas e para dar resposta à legislação em vigor, nomeadamente a relacionada com o Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios, implementamos uma abordagem ativa na gestão das faixas de proteção/servidão.


 

A construção e manutenção das faixas de proteção associadas às nossas infraestruturas (linhas elétricas e gasodutos) produzem impactes diretos na flora e no uso do solo. Para aumentar o nosso envolvimento com a floresta, desenvolvemos um Programa de Reflorestação das Faixas de Servidão que promove a biodiversidade e a proteção ambiental através de uma lógica de gestão multifuncional das áreas intervencionadas, transformando-as em parte integrante dos ecossistemas.

Respondendo aos desafios colocados pela procura de energia e pelas alterações climáticas, esta iniciativa traz vantagens aos proprietários, à floresta, à sociedade e contribui para a prevenção dos incêndios. A reconversão das faixas de proteção de linhas de transporte de eletricidade permite-nos:

  • Promover a criação de um ecossistema sustentável e aumentar a biodiversidade do coberto vegetal;

  • Promover a co-responsabilização dos proprietários, através de uma intervenção mais ativa nos seus terrenos;

  • Criar valor económico para os proprietários e reduzir os custos de manutenção dos seus terrenos;

  • Valorizar a paisagem, compatibilizando-a com a presença das nossas linhas;

  • Diminuir o risco de incêndio através da limpeza e adequação da vegetação existente nos corredores;

  • Promover o envolvimento da sociedade civil e das comunidades locais na proteção contra os incêndios e na gestão do território, através de ações de sensibilização para comportamentos de risco.

 

 

A REN sabe que só é possível alcançar estes objetivos com a participação e empenho de todos, pelo que as ações de reflorestação são efetuadas em parceria com os órgãos de poder local (autarquias), escolas e outras entidades da sociedade civil (associações, ONG'S). Entre outras iniciativas, desenvolvemos com sucesso ações de reflorestação em Gouveia, Porto, Trofa e Pedrógão Grande e apoiamos projetos ligados à proteção da floresta como o Programa Floresta Comum e o LIFE Elia.

 

 

O processo de reconversão de uma faixa de proteção implica a alteração do uso do solo, por exemplo para agricultura (vinhas, pastagens, pomares), e a substituição das espécies florestais existentes por espécies que permitam cumprir as distâncias mínimas de segurança. A rearborização depende fundamentalmente das condições edafoclimáticas da estação, do risco de incêndio e da sua compatibilidade com a presença da linha (baixo porte e crescimento lento).

Entre as espécies propostas aos proprietários encontram-se a alfarrobeira, o azevinho, a azinheira, o carvalho alvarinho, o carvalho negral, o carvalho cerquinho, o castanheiro, o medronheiro, a nogueira, a oliveira, o pinheiro-manso, o salgueiro e o sobreiro. 

Atualmente, a espécie que pretendemos aumentar em área de plantação é o medronheiro. Para promover a plantação do medronheiro junto dos proprietários de terrenos atravessados pelos corredores das linhas de transporte de energia, estabelecemos uma parceria com a Cooperativa Portuguesa de Medronho (CPM) com o intuito de divulgar as potencialidades desta espécie  e, especialmente do medronho, enquanto fruto com elevado potencial na indústria agroalimentar, cosmética, medicinal ou ornamental.

 

 

A nossa abordagem tem obtido o reconhecimento de várias entidades sendo já uma referência no que toca à gestão da vegetação. O projeto da REN para a "Reconversão das Faixas de Servidão"  foi escolhido como projeto de referência no prémio "Good Practice of the_Year" 2017, na categoria de Proteção Ambiental. Este Prémio é uma iniciativa organizada pela Renewables Grid Initiative, numa colaboração de Organizações Não-Governamentais (ONG's) e diversos Transmission System Operators (TSO's) de toda a Europa. O seu objetivo é a promoção e o desenvolvimento de redes transparentes que sejam sensíveis do ponto de vista ambiental, para permitir o crescimento contínuo da energia renovável e transição energética.

As práticas da REN no âmbito da reflorestação também têm sido caso de estudo em diversas publicações como a do Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (BCSD Portugal) e o Global Compact International Yearbook 2015, uma publicação da ONU.