menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

Portgás única empresa portuguesa a integrar duas mesas redondas da “European Clean Hydrogen Alliance”

 
A Portgás foi uma das primeiras empresas selecionadas para integrar a recente aliança europeia:"European Clean Hydrogen Alliance", em que a missão é desenvolver e implementar tecnologias de hidrogénio, reunindo a sua produção renovável e com baixo teor de carbono, o consumo na indústria e setor residencial, a mobilidade e outros setores bem como a transmissão e distribuição. A Portgás, com o objetivo de acompanhar e contribuir para o desenvolvimento do hidrogénio no setor energético, foi admitida nas mesas redondas "Clean hydrogen transmission and distribution" e "Clean hydrogen for residential applications". Estes grupos de trabalho têm como objetivo, além da partilha de conhecimento, sinalizar os principais desafios, prioridades e oportunidades das diversas tecnologias para produção de hidrogénio, passando pela sua distribuição nas infraestruturas e influência nos equipamentos dos clientes atuais e futuros.
 
O surgimento desta aliança prende-se com a análise preliminar do comportamento dos ciclos de investimento no setor de energia limpa, que tipicamente duram cerca de 25 anos, pelo que a EU determinou que a altura mais adequada fosse em 2020: A European Clean Hydrogen Alliance ajudará na construção de uma linha robusta de investimentos.
 
A adesão da Portgás é resultante da rigorosa vigilância tecnológica para o desenvolvimento do negócio, dando corpo ao compromisso com o desenvolvimento, implementação e integração de "gases renováveis" e com a digitalização e descarbonização das infraestruturas da Portgás, alinhados com as intenções estratégicas e o posicionamento da Comissão Europeia face ao tema do hidrogénio.

Enquanto operadora da rede de distribuição de gás, a Portgás considera ser um agente ativo na concretização das políticas energéticas e dos objetivos e metas definidos no Plano Nacional de Energia e Clima 2021-2030 (PNEC 2030) e no Roteiro da Neutralidade Carbónica 2050 (RNC 2050), pelo que a integração na aliança poderá, não só assegurar uma trajetória sustentada rumo à neutralidade carbónica da economia, fortalecendo ainda laços entre os diferentes países-membros envolvidos, assegurando a sustentabilidade do negócio de distribuição de energia.