menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

Prémio Agir distingue 3 projectos que promovem envelhecimento ativo

 

Lisboa, Ribeira de Fráguas e Vila Nova de Famalicão com iniciativas premiadas

O projeto "Trupe Sénior", da Colectividade Cultural e Recreativa de Sta. Catarina (Chapitô), de Lisboa, foi o vencedor da segunda edição do Prémio AGIR da REN, uma iniciativa criada para apoiar projetos que dão resposta a problemas sociais concretos. Este ano, o Prémio AGIR dedicado ao envelhecimento ativo, recebeu 171 candidaturas de todo o país.

O projeto vencedor prevê a criação de uma "Trupe Sénior": idosos que constituirão grupos de animação cultural e social, promovendo a intergeracionalidade entre jovens e idosos, potenciando a coesão comunitária. Ao abrigo deste programa, os idosos serão incluídos artisticamente em ateliers dinamizados pelos jovens em risco de exclusão social. Nesse sentido, esta Trupe Sénior será formada por idosos e jovens artistas que cumprem medidas tutelares em centros educativos ou que passaram por processos de reintegração social na escola do Chapitô, sendo depois mobilizados para dinamizar ações socioculturais e recreativas nas suas comunidades de origem, favorecendo o seu próprio envelhecimento ativo. (veja aqui o vídeo do projeto)

Teresa Ricou, Presidente da Direção do Chapitô, sublinhou que "o envelhecimento é um campo minado por estereótipos e representações que afectam, quer os sujeitos que vivem o processo de envelhecimento, quer as estruturas que se orientam para responder às necessidades desses sujeitos. Por isso, qualquer intervenção inovadora nesta realidade complexa deve convocar princípios estratégicos que sejam capazes de mudar as racionalidades e os procedimentos: o projeto Trupe Senior reivindica um novo olhar sustentado no princípio da diferenciação positiva e na assunção dos idosos, não como categoria social "despojada de possibilidades", mas antes como pessoas com saberes, competências, desejos, visões e instrumentos para mudar o mundo."

Segundo prémio para Cediara de Albergaria-a-Velha

O Prémio AGIR atribuiu o segundo lugar ao projeto "Idade XXL", da CEDIARA -Centros de Dia para Idosos, de Ribeira de Fráguas (Albergaria a Velha, Aveiro). Este projeto promove o envelhecimento ativo através de programas focados na intergeracionalidade, intervenção na comunidade e inclusão social, de forma a valorizar os conhecimentos dos idosos, colocando-os ao serviço da comunidade e investindo numa aproximação e partilha entre várias gerações. Baseia-se em três subprojectos: "Gerações com Vida", "Concretização de Sonhos" e "Senhores Sabedoria". Prevê a parceria entre vários estabelecimentos de ensino, estabelecimentos prisionais, instituições de apoio à terceira idade e outras entidades de caráter comunitário e social. Das várias ações que compõem o projeto, destacam-se a troca de correspondência entre idosos e crianças, aulas de cidadania e história dadas pelos idosos nas escolas e estabelecimentos prisionais, intervenções comunitárias através do grupo de cantares e grupo de teatro e atividades de animação a utentes dependentes e/ou em situação de isolamento.

O "Idade XXL" pretende ser um exemplo de boas práticas ao nível do envelhecimento bem-sucedido, contribuindo para uma mudança de mentalidades sobre o papel dos idosos na sociedade, focando as vantagens no reforço e reconhecimento das suas capacidades. (veja aqui o vídeo do projeto)

Susana Henriques, Diretora Técnica da Cediara reconheceu que "com uma sociedade cada vez mais envelhecida, é urgente apresentar modelos eficientes para que se consiga envelhecer com qualidade". A responsável daquela instituição do concelho de Albergaria a Velha, referiu que tem "procurado desenvolver um trabalho de referência em boas práticas no envelhecimento ativo, através de vários projetos e atividades diferenciadoras, apostando na capacitação dos nossos utentes e na melhoria da sua qualidade de vida. Com o projeto Idade XXL, pretendemos contribuir para que o envelhecimento ativo, mais do que uma meta, possa ser uma realidade", referiu ainda.

Terceiro para pra projeto "Envelhecimento + Ativo", de Famalicão

O terceiro prémio foi entregue ao projeto "Envelhecimento +Ativo", da Engenho - Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, de Vila Nova de Famalicão. Este projeto vai atuar ao nível do envelhecimento ativo através do desenvolvimento de atividades promotoras da estimulação cognitiva e sensorial (canteiros elevados para pessoas com mobilidade reduzida, adaptados à prática da hortofloricultura, sala de fisioterapia, sala snoezelen e sala da memória). As atividades serão implementadas no novo lar de idosos da Engenho, denominado "A Minha Casa", que funciona desde novembro de 2014. Destinam-se aos 152 utentes do centro de dia, apoio domiciliário e lar de idosos desta Associação, prioritariamente idosos com demência e/ou limitações de mobilidade. Está prevista a participação de crianças e jovens nas atividades de solidariedade e diálogo intergeracional e a realização de workshops de demência na terceira idade, destinados a cuidadores formais e informais. (veja aqui o vídeo do projeto)

Manuel Araújo, Presidente da Engenho, sublinhou que este projeto, "para além de promover a autonomia das pessoas idosas, procura valorizar as referências identitárias das nossas comunidades locais, de ligação à terra e à ruralidade, designadamente através da recolha e partilha de imagens e histórias de vida dos nossos idosos, num contexto intergeracional de mútua aprendizagem. Manuel Araújo referiu ainda que o Prémio AGIR é "mais do que um reconhecimento do trabalho que fazemos em prol do desenvolvimento social num território particularmente desfavorecido, é uma força que nos inspira a fazer mais, melhor e diferente pelos nossos idosos".

Para Rodrigo Costa, Chairman e CEO da REN, "o Prémio AGIR é um projeto que traduz o compromisso de cidadania ativa da REN. O Prémio foi criado para incentivar e apoiar iniciativas com respostas concretas aos problemas sociais que escolhemos endereçar. O ano passado foi dedicado à criação de emprego, e os três projetos premiados alcançaram um impacto social significativo. Este ano, o tema escolhido foi o envelhecimento ativo e acreditamos que as iniciativas selecionadas vão produzir uma transformação positiva nas comunidades abrangidas e servirão de exemplo para outras comunidades".