menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

Projetos “É um Restaurante”, “Rede de Sorrisos” e “TecMeUp” recebem prémio AGIR da REN

 

O projeto social "É um Restaurante" da Associação CRESCER, de Lisboa, é o vencedor da sétima edição do Prémio AGIR da REN, este ano dedicado à promoção do emprego e integração profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade. Trata-se de um restaurante em Lisboa, onde o serviço é assegurado por pessoas em situação de sem abrigo (PSSA). A Santa Casa da Misericórdia do Porto recebeu o segundo lugar com uma iniciativa ligada ao apoio a PSSA beneficiários da Plataforma + Emprego e o Instituto São João de Deus, que atua em Barcelos, ficou em terceiro lugar com um projeto de apoio às pessoas com doença mental.

O projeto "É Um Restaurante" permite ainda que as PSSA usufruam de acompanhamento de caráter social, psicológico, acesso à saúde e habitação, entre outros, facilitando a sua verdadeira inclusão na comunidade. O apoio social é contínuo ao longo do projeto, até à fase de integração profissional, e mesmo depois, em caso de desemprego.

No primeiro ano da iniciativa, das 47 pessoas que integraram a formação neste projeto, 11 já estão a trabalhar, 6 foram encaminhados para estágios num dos restaurantes parceiros, 21 receberam tratamentos estomatológicos e 22 aderiram a consultas de especialidade. Nenhuma se encontra a dormir na rua. Neste momento, devido à pandemia, o projeto funciona em exclusivo com serviço de take away e entregas ao domicílio, mas espera-se que retome o serviço tradicional em breve.

No "É um Restaurante", cada formando tem 800 horas de formação: pessoal (ministrada pela CRESCER), em técnicas de restauração (ministrada pela Escola de Hotelaria e Turismo) e em contexto de trabalho no restaurante.  A formação, concebida em conjunto com a Escola de Hotelaria e Turismo e o IEFP, foi desenhada à medida do projeto e dos seus beneficiários, e está devidamente acreditada.

O Prémio AGIR 2020 vai contribuir para o funcionamento do projeto "É um Restaurante" durante um ano, permitindo a integração de uma terceira turma de formandos. O prémio será também aplicado na recuperação do espaço, necessária à sua reabertura, após o encerramento ao público motivado pela pandemia de COVID-19, e que levou à reestruturação do espaço para permitir a confeção de 600 refeições diárias para distribuir nas ruas e em centros para PSSA da CML.

O tema do Prémio AGIR deste ano foi a "Promoção do emprego e integração profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade". Segundo Américo Nave, Director Executivo da CRESCER, associação que trabalha desde 2001 a integração comunitária de pessoas em situação de sem abrigo, refugiados e pessoas consumidoras de substâncias psicoativas, "a metodologia que trabalhamos, defende que para conseguirmos erradicar as situações de pobreza e desigualdades sociais extremas, acima de tudo estas pessoa têm que ter o direito a uma habitação e autonomia através de um emprego". "O Prémio AGIR da REN, para além do mérito que é o seu reconhecimento, permite-nos continuar o nosso trabalho junto destas populações, na tentativa de minimizar a falta de respostas na área da empregabilidade para as populações mais vulneráveis", acrescentou.

Instituições do Porto e de Barcelos também premiadas  

O projeto "Rede Sorrisos" da Santa Casa da Misericórdia do Porto conquistou o segundo lugar do Prémio AGIR da REN. A iniciativa pretende apoiar os beneficiários da Plataforma + Emprego, outro dos Projetos da Misericórdia do Porto, destinado a integrar pessoas com perfil de empregabilidade. Disponibiliza recursos financeiros para solucionar problemas individuais (por exemplo, tratamentos dentários, aquisição de fardamento, compra de óculos, entre outros), permitindo o acesso com igualdade de oportunidades ao mercado laboral. Desde 2018, o projeto integrou 28 pessoas, das quais 15 ainda se encontram a trabalhar.

Segundo o Provedor da Misericórdia do Porto, António Tavares, "o Prémio AGIR é um sinal de reforço, evidente, da importância e premência dos projetos destinados a apoiar as pessoas em situação de vulnerabilidade. A verba disponibilizada pelo Prémio AGIR será integralmente destinada a apoiar na integração profissional dos candidatos da Plataforma +Emprego, por isso, este é um prémio das pessoas que procuram a sua reintegração e uma nova oportunidade, nós, a Misericórdia do Porto, seremos apenas o apoio à sua concretização".

O projeto "TecMeUp", promovido pelo Instituto São João de Deus, em Barcelos, conquistou o terceiro lugar do Prémio AGIR da REN. O TecMeUp quer ajudar as pessoas com doença mental a terem maior independência e autonomia, fornecendo-lhes ferramentas digitais necessárias para conseguirem entrar no mercado de trabalho. Numa primeira fase, o projeto piloto envolve oito beneficiários da região de Barcelos.

De acordo com Isabel Bragança, Diretora da Casa de Saúde de S. João de Deus, "o prémio AGIR 2020 abre uma janela de oportunidade para o reforço da nossa intervenção junto das pessoas com doença mental. O risco de exclusão com que esta população se depara é crítico, particularmente na acessibilidade ao emprego. Este reconhecimento, para além de validar a estratégia delineada em 2010 para esta resposta de proximidade, promove um espaço de sensibilização para uma realidade muitas vezes escondida. Em nome dos utilizadores atuais e potenciais da resposta, muito obrigada".

A REN definiu já o tema da próxima edição do Prémio Agir: Inovação Social na resposta à Covid-19. Se é certo que a pandemia permitiu perceber pontos fracos na resposta das cerca de 65.000 organizações da Economia Social existentes em Portugal, também é verdade que evidenciou a sua capacidade de adaptação e superação. Essas novas soluções, que permitiram continuar a apoiar os seus beneficiários, têm de ter visibilidade e ser acessíveis a mais pessoas, para que se possa potenciar os seus efeitos e aumentar o impacto social produzidas pelas mesmas.

Fique a conhecer melhor os projetos vencedores:

  

Sobre o Prémio Agir


O Prémio AGIR enquadra-se na política de envolvimento com a Comunidade e Inovação Social da REN. 


Anualmente, o Prémio AGIR seleciona uma área de intervenção social e distingue três projetos. As últimas edições foram dedicadas aos temas "Promoção do Sucesso Escolar e Combate ao Abandono Escolar" (2019), "Preservação do património natural" (2018); "Inserção Laboral de Pessoas com Deficiência" (2017); "Combate à Pobreza e Exclusão Social" (2016); "Envelhecimento Ativo" (2015) e "Criação de Emprego" (2014).  


A seleção dos três melhores projetos é da responsabilidade da REN, em parceria com a STONE SOUP, que acompanha e monitoriza a utilização dos fundos doados a cada projeto apoiado, efetuando também a avaliação do impacto social real do apoio atribuído. Ao primeiro classificado é concedido um valor monetário de trinta mil euros, ao segundo quinze mil euros e ao terceiro cinco mil euros.