menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

REN apoia projeto de conservação dos Jerónimos

 

A REN é um dos mecenas do projeto de conservação da Igreja do Mosteiro dos Jerónimos, monumento com cinco séculos de existência, símbolo maior da cultura portuguesa. 

A degradação da sua estrutura, que tem como principal causa a infiltração de água, está na base de um plano de Conservação e Restauro com 10 fases, definido pela Direção Geral do Património Cultural, em parceria com o World Monuments Fund Portugal ( WMF Portugal) e sob a supervisão da sua Comissão Científica, que visa o tratamento integral da igreja como um todo, com intervenções exteriores e interiores, em curso desde 2012 até 2022,  com o apoio de vários mecenas.

O apoio da REN e restantes mecenas ( Brisa, Caixa Geral de Depósitos, Fundação MIllenium bcp, Fundo Robert Wilson e Prozis) permitirá assegurar a execução das fases de conservação e restauro do interior da igreja do Mosteiro dos Jerónimos, que incluem numa fase, a zona do cruzeiro e respetivos transeptos e, noutra fase, a nave central e subcoro. 

Cinco das dez fases previstas foram já executadas, estando em curso a intervenção sobre a área exterior, de modo a garantir o tratamento das causas de entrada de água, seguindo-se posteriormente a restituição da integridade e a beleza interiores desta obra-prima da arquitetura portuguesa do século XVI, formalizada, quinta-feira (6 de maio) por um protocolo entre a Direção-Geral do Património Cultural e a World Monuments Fund Portugal..

Considerado uma joia do manuelino, estilo exclusivamente português, o Mosteiro dos Jerónimos está inscrito na lista do Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), desde 1983, juntamente com a Torre de Belém. A última grande intervenção na igreja dos Jerónimos data dos anos 1960.

Em 2022, este que é o monumento mais visitado do país, com 2,5 milhões de entradas anuais, celebra 500 anos, e a sua conservação e restauro, está estimada em mais de dois milhões de euros.

O WMF é uma organização privada sem fins lucrativos fundada em 1965 nos Estados Unidos, vocacionada para a proteção de património cultural em risco, e possui delegações em três continentes, patrocinando um programa contínuo para a conservação de tesouros artísticos em todo o mundo.

Já apoiou mais de 600 projetos em 90 países, como Portugal, onde a filial portuguesa participou em ações de conservação e restauro nos claustros deste mosteiro, na Torre de Belém, nos Jardins do Palácio de Queluz, da estátua equestre de José I, na Praça do Comércio, em Lisboa, e da Sé Catedral do Funchal.