menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

REN leva gás natural a Trás-Os-Montes

 

A REN - Redes Energéticas Nacionais terminou a 1ª fase da 3ª interligação a Espanha (Zamora) do gasoduto que liga Mangualde, Celorico e Guarda. Este projeto, avaliado em cerca de 40 milhões de euros, permite desde já o acesso ao gás natural por parte dos concelhos de Gouveia, Fornos de Algodres e Celorico da Beira e reforça a segurança do abastecimento do País, ao fechar em anel os gasodutos Monforte-Guarda e Cantanhede- Mangualde.

A 2ªa fase deste gasoduto ligará a rede portuguesa à espanhola através de Zamora, reforçando a integração de Portugal na rede transeuropeia de gás, em benefício dos consumidores.

Com uma extensão de cerca de 76 quilómetros em tubos de aço, o gasoduto passa por cinco concelhos, 23 freguesias e 943 proprietários, contornando ainda a norte o Parque Natural da Serra da Estrela.

O projeto é cofinanciado pela Comunidade Económica Europeia ao abrigo do programa EEPR-European Economic Programme Recovery e contou com cerca de 270 trabalhadores e mais de 500.000 horas de trabalho acumuladas.

Ao ficar igualmente ligado às instalações de armazenagem subterrânea de gás natural da REN, no Carriço, na região de Pombal, bem como ao terminal de gás natural liquefeito da REN, em Sines, o gasoduto Celorico-Zamora valoriza a Península Ibérica como porta de entrada de gás natural no sistema europeu.

Para Rui Cartaxo, CEO da REN, "a 3.ª interligação a Espanha é uma etapa importante da criação do mercado ibérico de gás natural".

Ambiente e biodiversidade preservado

No âmbito deste projeto, e de acordo com a sua política de responsabilidade ambiental e social, a empresa efetuou um conjunto de ações e parcerias de forma a preservar o ambiente e a biodiversidade.

De destacar a plantação de cerca de 28000 árvores, entre azinheiras, carvalhos e freixos, numa área de 25 hectares, na zona do Parque Natural da Serra da Estrela, como medida de compensação pelo abate de espécies arbóreas da flora autóctone que foi necessário efetuar para a construção do gasoduto.

No âmbito das medidas de minimização direcionadas exclusivamente à das espécies endémicas foi efetuado um "Estudo sobre a distribuição do Narciso-do-Mondego (Narcissus scaberulus)", que identificou a localização dos núcleos populacionais desta espécie na zona do projeto e numa 2ª fase ações diretas sobre os núcleos afetados pelos trabalhos de construção, que contemplou a recolha de sementes para posterior realização de sementeiras, bem como a transplantação de bolbos. 

Tendo em consideração a primeira fase de avaliação desta operação, realizada em março deste ano, é já possível destacar o elevado êxito obtido, uma vez que se verificou uma taxa de sucesso superior a 80%  para todas as zonas de plantação e a presença de rebentos de narciso-do-mondego em todas as sementeiras realizadas.

Durante a execução do projeto, a REN promoveu ainda ações de monitorização da avifauna, dos recursos hídricos e da qualidade do ar. Neste âmbito, a empresa monitorizou espécies de avifauna em perigo de extinção, nomeadamente no período de nidificação e efetuou campanhas de caracterização e monitorização da qualidade do ar e da qualidade da água dos recursos hídricos, nas zonas atravessadas pelo gasoduto.