menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

REN parceira do projeto Gestão Transparente.org

 

A REN é uma das empresas que participou na elaboração do Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações, que foi apresentado publicamente no dia 10 de Dezembro. Trata-se de uma nova ferramenta informática, on-line e gratuita que disponibiliza um simulador que permite às diversas entidades aferir, em cada momento - por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também legislação, medidas e instrumentos que permitem reduzir a exposição das empresas aos riscos de corrupção.

Na apresentação deste projeto no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, estiveram presentes algumas das principais empresas do PSI 20, entre outras entidades públicas e privadas, como o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), a Procuradoria Geral da República, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), o Conselho de Prevenção da Corrupção e a Universidade do Minho.

Pedro Nunes, Secretário da Sociedade da REN, referiu que "atendendo ao facto de a luta contra a corrupção começar na prevenção, este projeto pode ser bastante importante para as pequenas organizações que não têm ainda as ferramentas que permitem minimizar os riscos de corrupção. Mas também as grandes empresas podem beneficiar do resultado deste projeto, uma vez que lhes permite ter acesso a diferentes abordagens à temática da gestão do risco de corrupção", acrescentou ainda. Pedro Nunes, na sua intervenção, salientou a importância da participação da REN neste projeto e lembrou que "a luta contra a corrupção é um dever de todos e de cada um. Por isso, é urgente a adoção de medidas rigorosas para combater todas as formas de corrupção".

O Projeto "GestãoTransparente.Org - Guia prático de gestão de riscos de corrupção nas organizações" parte da premissa de que as organizações com práticas transparentes, éticas e íntegras se tornam mais atrativas ao investimento e ao relacionamento com os seus interlocutores e com a comunidade em geral. Por isso, ao promover e desenvolver estratégias anticorrupção, as empresas e outras entidades poderão ganhar vantagens competitivas no mercado e nos ambientes em que desenvolvem as suas atividades, ao mesmo tempo que dão uma imagem de credibilidade e criam uma boa reputação externa.

O Guia identifica e carateriza também os principais instrumentos organizacionais de prevenção de riscos de corrupção e é um instrumento de gestão prático para apoiar as organizações a definir e implementar medidas de prevenção da corrupção e de promoção da transparência.

A REN aderiu já a outras iniciativas de combate à corrupção, como é caso da United Nations Global Compact (desde 2005) e à United Nations Convention against Corruption. Internamente tem regulamentos e ferramentas que promovem a transparência, a integridade e previnem riscos de corrupção na empresa, como sejam a Declaração de Política de Responsabilidade Social, o Código de Conduta ou o Processo de Gestão de Risco.

Além da REN, este projeto contou igualmente com empresas como a ANA, CEIIA, EPAL, INTELI, MICROSOFT, MTS, REN e SIEMENS e com a colaboração da CARRIS, CP, ISTEC, METRO. Como observadores, este projeto inovador conta com as participações do Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e Universidade do Minho.

Para mais informações consulte o website da Gestão Transparente.org (http://gestaotransparente.org/).