menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

Resultado Líquido mantém-se estável - Novos máximos históricos de produção eólica

 
• EBITDA de 125,3 M€ e Resultado Líquido cresce 1% para 13,2 M€.  
• Sistema Elétrico Nacional registou, a 1 de fevereiro, novo máximo histórico de produção eólica diária, com 102,4 GWh. 
• Sistema Nacional de Gás Natural exportou pela primeira vez gás natural pela interligação de Campo Maior. 
• Aprovados pelo Governo os Planos de Desenvolvimento e Investimento das Redes de Transporte de Eletricidade e Gás Natural para 2018 - 2027 

A REN - Redes Energéticas Nacionais apresentou um resultado líquido de 13,2 milhões de euros no primeiro trimestre de 2019. O EBITDA situou-se nos 125,3 milhões de euros, um ligeiro decréscimo de 2,4% relativo ao mesmo período do ano passado, explicado sobretudo pela diminuição da remuneração dos ativos. Esta descida foi, no entanto, compensada pelo aumento do EBITDA da área de distribuição de Gás Natural (Portgás). Na evolução do EBITDA, destaca-se ainda a melhoria da eficiência, traduzida numa redução dos custos da empresa em cerca de 3.1% face a 2018. 

Apesar da redução do EBITDA, o resultado líquido no primeiro trimestre de 2019 foi de 13,2 milhões de euros, em linha com o valor apresentado no primeiro trimestre de 2018, refletindo melhores resultados financeiros, que atingiram 15,5 milhões de euros. A empresa continuou o seu esforço de redução da divida, que agora é de cerca de 2.613,9 milhões de euros. 

A Portgás e a Electrogas contribuíram ambas positivamente para os resultados consolidados da REN, de acordo com o previsto. 

O CAPEX cresceu 2,9M€ para 16,8M€, beneficiando do aumento dos investimentos no negócio da eletricidade. Adicionalmente, e na sequência de pareceres favoráveis da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), foram, pela primeira vez, aprovados pelo Concedente os Planos de Desenvolvimento e de Investimento das Redes de Transporte de Eletricidade e de Gás Natural (PDIRT e PDIRGN 2018-2017), num total de, respetivamente, 535,1 e 51,0 milhões de euros de investimento em projetos a realizar maioritariamente nos primeiros 5 anos do período em questão. 

O Sistema Elétrico Nacional registou, durante o primeiro trimestre de 2009, sucessivos máximos de produção eólica, tendo atingido no dia 1 de fevereiro um novo recorde de produção eólica diária (102,4 GWh), correspondendo a 63% do total do consumo de eletricidade a nível nacional. 

A produção nacional nesse mesmo dia totalizou 180 GWh, dos quais cerca de 3,7% (6,7 GWh) foram destinados a exportação. 

No dia 6 de março registou-se um novo recorde da ponta eólica, com 4640 MW, sendo que neste dia a produção eólica chegou a corresponder a 99% do consumo nacional. 

Ainda neste primeiro trimestre de 2019, o Sistema Nacional de Gás Natural estreou-se como exportador, a 10 de janeiro. Nesse dia, o fluxo total de gás no VIP Ibérico (ponto virtual que agrega as capacidades das interligações internacionais) para abastecimento do sistema espanhol foi de aproximadamente um milhão de metros cúbicos. 

O terminal de GNL de Sines registou neste mesmo período 16 descargas de metaneiros - um dos números mais elevados de sempre num só trimestre. Este valor representa cerca de um terço do total das descargas registadas em longo de 2018 (que teve o 2º valor mais alto de sempre) e corrobora o facto de 98% do gás natural consumido em Portugal até Março de 2019 ter sido abastecido por Sines, refletindo a estratégia nacional de diversificação das fontes de abastecimento.